Ativista feminista propõe o fim da família tradicional

Na sua obsessão por desmantelar a civilização ocidental, destroçar a família tradicional e “emancipar” a mulher, a esquerda não reconhece limites para a sua voracidade destrutiva, pelo fato de que — profundamente imersa em seus devaneios delirantes — pretende construir um novo mundo, mais afeito à sua ideologia depravada, subversiva e histriônica. Como consequência, as fantasias infantis da esquerda progressista ficam a cada dia mais utópicas, insanas, relativistas e degradantes, completamente incompatíveis com o pensamento, a racionalidade e o senso de responsabilidade inerentes a pessoas mentalmente sadias.

FAMÍLIA PATRIARCAL É O CARALHO

O termo família patriarcal foi utilizado falaciosamente nos primeiros anos da segunda onda feminista para se referir à família de modo geral, a qual, desde sua origem, consistia em um pai a cuja autoridade estavam sujeitos sua(s) esposa(s) e seus filhos. E continua a nos assombrar no feminismo 4.0