Vamos Falar sobre Freud?

O que você vê aqui é a norma sendo redefinida ao longo de todo o século e o que era ser um pecado, agora é uma virtude. Por exemplo, a homossexualidade.

O que era pra ser uma aberração é agora normal, e o que era pra ser normal, isto é, a repulsa a homossexualidade, agora é um crime de pensamento sob o regime do politicamente correto. Isso é a essência do politicamente correto. a essência do que aconteceu ao longo do século 20. A norma foi redefinida no contrário dela. O erro é binário. O erro é proibição. Nunca haverá um mundo sem normas. O que você tem aqui é Umvertung der Werte, a transvalorização dos valores, onde o que é bom agora é mau. O que é bom agora é perverso. Isto aconteceu no reino da psicologia grandemente através do esforço de pessoas como Freud. Você vê isto como um meio de subversão cultural. Freud se tornou o veículo para a subversão cultural.

A sórdida e depravada hipocrisia progressista

Sejamos francos e sinceros, quando o assunto é hipocrisia, absolutamente ninguém ganha da esquerda. A esquerda — além de ser absolutamente repulsiva e degradante na questão moral — é simplesmente a coisa mais hipócrita que existe. Como movimento político, não passa de um grupo de militantes mimados, arrogantes e prepotentes, que resmungam constantemente contra a burguesia, mas veneram, idolatram e bajulam políticos absurdamente ricos. É fundamental entender que a esquerda se opõe apenas aos ricos da iniciativa privada, mas tem verdadeira adoração pelos ricos do estado.

Um Breve Histórico Sobre Marxismo Cultural

Grande parte dos protestos sobre o marxismo cultural é ultrajante, desinformado e conspiratório. Algumas pessoas simplificam, ignoram ou minimizam as fissuras e tensões entre grupos e ideias de esquerda. O marxismo cultural não pode ser reduzido, por exemplo, a uma mera estrutura “politicamente correta” ou “política de identidade”.

No entanto, o marxismo permeia a teoria, apesar da competição entre as várias ideias sob esse rótulo amplo. Às vezes, esse marxismo é auto-evidente; outras vezes, é residual e implícito. De qualquer forma, alcançou um caráter distinto, mas em evolução, quando os estudiosos da literatura reformularam o marxismo clássico para explicar a relação entre literatura, cultura, classe, poder e discurso.

Comunismo — Muita propaganda e nenhum resultado prático

Além de milhões de mortos, o comunismo produziu uma infindável bibliografia de trabalhos teóricos inúteis — que por sua vez contribuíram para criar infindáveis legiões de idiotas úteis —, e, sem dúvida nenhuma, muita, muita, muita propaganda. A publicidade sempre foi indispensável para regimes comunistas, como uma forma de reforçar a doutrinação e a restrição Continue Lendo