Vamos Falar sobre Freud?

O que você vê aqui é a norma sendo redefinida ao longo de todo o século e o que era ser um pecado, agora é uma virtude. Por exemplo, a homossexualidade.

O que era pra ser uma aberração é agora normal, e o que era pra ser normal, isto é, a repulsa a homossexualidade, agora é um crime de pensamento sob o regime do politicamente correto. Isso é a essência do politicamente correto. a essência do que aconteceu ao longo do século 20. A norma foi redefinida no contrário dela. O erro é binário. O erro é proibição. Nunca haverá um mundo sem normas. O que você tem aqui é Umvertung der Werte, a transvalorização dos valores, onde o que é bom agora é mau. O que é bom agora é perverso. Isto aconteceu no reino da psicologia grandemente através do esforço de pessoas como Freud. Você vê isto como um meio de subversão cultural. Freud se tornou o veículo para a subversão cultural.

A IDEIA DA NEORREAÇÃO

O ‘neo-‘ da neorreação é mais do que apenas um marcador cronológico, contudo. Ele introduz uma ideia distintiva, ou tópico abstrato: aquele de uma catraca degenerativa.

O impulso de recuar de algo já é reacionário, mas é a combinação de um crítica do progresso com um reconhecimento de que a simples reversão é impossível que inicia a neorreação.

Se Você Não está Rindo, está Aprendendo

Um homem sábio disse uma vez: “se você não está rindo, está aprendendo”.Basicamente, aqueles que podem se relacionar e simpatizar com algo ou alguém rirão porque entendem, porque se compadecem e se veem no humor, porque veem a verdade na comédia. Eles aprenderam sobre a verdade que está sendo transmitida no passado e agora podem rir disso.Ao contrário do que nossa moderna “#cancelculture” nos faz acreditar – ou seja, que todo riso é ironicamente ou fundamentalmente irônico, mesquinho e opera com fórmulas e conceitos sociais como bullying, “punching down” ou “punching up”. – o humor funciona predominantemente como uma força unificadora e conciliatória.

A sórdida e depravada hipocrisia progressista

Sejamos francos e sinceros, quando o assunto é hipocrisia, absolutamente ninguém ganha da esquerda. A esquerda — além de ser absolutamente repulsiva e degradante na questão moral — é simplesmente a coisa mais hipócrita que existe. Como movimento político, não passa de um grupo de militantes mimados, arrogantes e prepotentes, que resmungam constantemente contra a burguesia, mas veneram, idolatram e bajulam políticos absurdamente ricos. É fundamental entender que a esquerda se opõe apenas aos ricos da iniciativa privada, mas tem verdadeira adoração pelos ricos do estado.

Fascismo PaleoLibertário – CONCLUSÃO 👌O

Neste ponto, deve ficar claro por que um movimento em direção ao fascismo a partir de nossa posição atual seria um movimento em direção à liberdade. Assim fascistas e libertários não devem ser avessos a buscar uma aliança. Isso está perfeitamente bem. Os governos fascistas têm um respeito relativamente saudável pela propriedade privada e pela livre iniciativa. Eles se opõem ao Banco Central. Eles promovem valores e instituições ocidentais tradicionais. Naturalmente, o aspecto mais satisfatório do fascismo é sua capacidade de destruir impiedosamente a ameaça comunista.

Minha Honra chama-se Lealdade – A Vida de Johannes Hendrik Feldmeijer

Ou você é homem ou militante progressista — Não dá para ser os dois

A geração floquinho de neve literalmente se ofende por qualquer coisa. Quando os militantes se sentem feridos ou contrariados, lá vão eles espernear e resmungar nas redes sociais. Enquanto o mundo não se transformar naquela “maravilhosa” e “radiante” utopia igualitária — que não passa de um vulgar artifício debaixo do qual a militância tenta ocultar Continue Lendo

O progressismo compreendido como um transtorno psiquiátrico

A prepotência e a arrogância de pensarem que estão sempre certos é uma das características mais latentes de militantes progressistas. Eles nunca expressam humildade, brandura, cordialidade, racionalidade ou qualquer tipo de qualidade. Virtudes como autocontrole e autodomínio, então, estão absolutamente fora de cogitação

Comunismo — Muita propaganda e nenhum resultado prático

Além de milhões de mortos, o comunismo produziu uma infindável bibliografia de trabalhos teóricos inúteis — que por sua vez contribuíram para criar infindáveis legiões de idiotas úteis —, e, sem dúvida nenhuma, muita, muita, muita propaganda. A publicidade sempre foi indispensável para regimes comunistas, como uma forma de reforçar a doutrinação e a restrição Continue Lendo