Sigmund Freud é o psicólogo mais famoso do século 20. Como Franz Boas, ele criou uma escola de psicologia. Como Franz Boas, ele via o anti-semitismo como um problema enorme. Ele mesmo se envolveu com o semitismo quando ele era jovem ainda, como Franz Boas. E isto permaneceu com ele como um parte importante da psique. E você pode ver isto nos escritos deles. Eles viram a erradicação do anti-semitismo como um critério muito importante.

Por isso, no fundo a psicanálise estava perto de desenvolver uma teoria que poderia ser usada para impor um semitismo. Freud, conscientemente, via a si mesmo como parte da resistência que estava combatendo a cultura do Ocidente. Ele via a si mesmo um tipo de general semita lutando contra Roma. Há passagens impressionantes das cartas dele. Ele se identificava com Aníbal. Ele era um general semita lutando contra Roma. No pensamento judaico, Roma é frequentemente vista como o Ocidente por excelência. Quando eles pensam em Roma, eles pensam em Roma destruindo o segundo templo. Pensam Roma fundamentalmente como esse poder ocidental maléfico. E Freud via a psicanálise como um mecanismo de guerra cultural.

A psicanálise era algo não científico oficialmente. Eles nem mesmo tiveram a pretensão de realizar o estudo sério de alguma coisa naquela época. Por volta do início do século 20, a escola de psicologia dominante na América e na Inglaterra era o behaviourismo. Eu não sou behaviourista, mas o que eu quero dizer é que os behaviouristas tinham um forte senso de que a psicologia tinha que ser baseada na experimentação. Por isso, eles criticavam a psicanálise. E exigiam:

“Onde estão os seus dados?
Me mostre algum estudo.”

Mesmo alguns trabalhos de seguidores de Freud bem no começo ficaram desiludidos por eles não visto dados. Eles começaram a perceber que a psicanálise, basicamente, era um conjunto de proposições que eram promulgadas por líderes e, se você era um seguidor, você deveria simplesmente aceitar; se você não aceitasse, logo você era colocado pra fora do movimento. Logo, isso não funcionava como um ciência normal. O que é realmente importante é realmente exigido em uma área como a psiquiatria. A psiquiatria foi dominada pelos freudiano. Mas isto desapareceu por causa do surgimento da psiquiatria biológica.

Atualmente, a análise psiquiátrica sobre algo como distúrbios depressivos, não passa de uma bica de drogas legalizada. Uma opção que supostamente deveria sanar esse charlatanismo talmúdico, analisando quais partes do cérebro estão relacionadas com a depressão, foi cooptada pela desumanização do ofício começando pelo Complexo Industrial Farmacêutico que suborna os psiquiatras com viagens e cruzeiros marítimos caso eles empurrem certos medicamentos. Imagina vender sua alma pra pegar um cruzeiro….. Apesar da aversão natural à “especialistas” (inteligensia) não é nada surpreendente que um indivíduo mediano depois de passar 8 anos de intenso esforço não ser tão empático com outro ser humano quando recebe R$40 mangos por sessão através dos planos médicos. Apesar de suas falhas o âmago da questão aprimorou em contraste ao início do século XX quando psicoanalistas podiam dizer qualquer coisa que eles quisessem sobre depressão e neuroses. Eles podiam inventar estórias sobre sexo reprimido ou qualquer coisa. E isso foi bastante aceito.

Eu acho que o gênio de Freud era um tipo de metáfora ou um tipo de de peça que ressoou automaticamente nas pessoas por que é fácil perceber como a repressão sexual era uma parte importante da cultura ocidental.


Basta eu tomar o filme (((Kinsey))) , que conta a história de Kinsey reformador sexual. Ele não era realmente um freudiano, mas você pode ver essa ideia de repressão sexual que era um elemento tão típico da cultura em que ele cresceu. Que mantinha a moralidade burguesa cristã com taboos sobre aspectos sexuais. Quando se fala de Kinsey, é impossível evitar tocar na sordidez que esse judeu subversivo e depravado praticou que é ovacionado desde terapeutas à neurologistas.

Na tabela 34b Kinsey fala sobre as notas do senhor Green no tempo em que ele havia levado crianças para se masturbar e terem múltiplos orgasmos. Neste livro, e baseado principalmente nas informações do senhor Green, Kinsey ensina que as crianças poderiam , com a ajuda de um adulto experiente, desfrutar de atividade sexual desde o momento que elas nascem. Isto se tornou um tipo de ponto de encontro, penso eu, para os intelectuais de esquerda; Pessoas como Kinsey certamente eram gratos à psicanálise. Você pode ver ele tendo problemas com ambientes religiosos, o pai dele sendo um padre, via o sexo como um mal. E, essencialmente, aquilo foi parte do zeitgeist naquele momento. Quando Freud falava sobre o sexo como a base fundamental de todas as neuroses, você tinha um certa camada de plausibilidade, não era ridículo, eu suponho. Não era baseado na ciência, mas era baseado em um certo tipo de paradigma atraente.

Não têm documentário que que pudesse indicar com mais veemência do que o abaixo. Eu nem sei como ele ainda não foi censurado do YouTube, tenho baixado mas toma 170mb, então..

Assista Kinsey FAGGOT

 

Deixe eu dar a você alguns exemplos de atitude predatória de Freud com os pacientes dele. Ele tinha um desenho no escritório dele de um leão, e abaixo dizia:

“É meio dia já e nenhum negro. Estou com fome. Eu preciso que um negro venha aqui. Eu preciso comer o negro.”

Ora, quem era o negro? Quem é o paciente? O melhor exemplo deve ser Horace Frank, este médico vindo da América. Ele quer ser um psicanalista. Logo, ele aparece para Freud e se junta a ele. Então, ele estuda psicanálise com Freud. Ele diz:

“Eu tenho atração sexual pelas minhas pacientes. Isso não é errado? Eu digo, não é errado se você dá em cima de seus pacientes? Isto não é antiético? Sem mencionar o fato de você ser casado com alguém.”

Bem, o que Freud replicou:

“Não, eu não acho que isto é uma má ideia.”

Aliás, ele pediu Frank para deixar a esposa e se casar com outra mulher porque ela tinha muito dinheiro. E daí dar uma contribuição significativa à Sociedade Psicanalista. Isto é um conflito de interesses chocante e um abuso revoltante de toda uma ideia de medicina, e certamente um abuso do que é a psiquiatria. E o próprio Freud estava envolvido nisto. Isto não é um abuso. Isto é o coração da da coisa toda, como Dr. E. Michael Jones nos ensinou a coisa toda é sobre liberação sexual como arma de controle político. Ela é mostrada como medicina por causa da influência que as pessoas que procuravam promover isto na cultura moderna. Você tem todo tipo de pessoas após, discípulos da nova psicologia. Um deles é um homem chamado Yastrow da Universidade de Wisconsin. Isto é a descrição de Heinz do que Yastrow estava fazendo na Universidade de Wisconsin:

“Yastrow taxou o Cristianismo de um forma que Peirce não havia. Ele também usava a fraseologia bíblica e rabínica dos remanescentes de Israel quando ele se refere aos poucos dissidentes que lutaram em todos os lugares e épocas pela liberdade de pensamento.
Sempre haverá um a remanescente, que estará disposto a abandonar o dogma.”

Como exemplo principal da imposição forçada do pensamento em uma comunidade. No curso dele sobre psicologia da crença em Wisconsin e nos escritos dele, ele fala:

“(da) Triste página da história que registra as técnicas da Igreja de censura e supressão do pensamento”

O que você vê aqui é a norma sendo redefinida ao longo de todo o século e o que era ser um pecado, agora é uma virtude. Por exemplo, a homossexualidade. O que era pra ser uma aberração é agora normal, e o que era pra ser normal, isto é, a repulsa a homossexualidade, agora é um crime de pensamento sob o regime do politicamente correto. Isso é a essência do politicamente correto. a essência do que aconteceu ao longo do século 20. A norma foi redefinida no contrário dela. O erro é binário. O erro é proibição. Nunca haverá um mundo sem normas. O que você tem aqui é Umvertung der Werte, a transvalorização dos valores, onde o que é bom agora é mau. O que é bom agora é perverso. Isto aconteceu no reino da psicologia grandemente através do esforço de pessoas como Freud. Você vê isto como um meio de subversão cultural. Freud se tornou o veículo para a subversão cultural.

Influenciados por Freud o Judeu começou à trabalhar na redefinição da alma,i.e psiché, a palavra grega para alma. E por isso, nós estamos falando de psicologia, que é a ciência da alma. Esta é a psicologia clássica. Isto é grego e faz todo o caminho de volta a pessoas como Eurípides e Platão. A definição clássica de alma era a imagem do cavaleiro montado no cavalo.

O cavaleiro era a razão, o cavalo era a paixão.
Várias vezes o freio era a vontade.
Razão, vontade e paixão: Logos, ethos e pathos.
E isto era a verdadeira ordem.
Razão governa a paixão, como o cavaleiro governa o cavalo.

O que aconteceu ao longo de todo o século 20 foi que isto foi invertido, em outras palavras, nós tivemos uma revolução na psicologia que concorre para a revolução depois no pensamento hermenêutico. O que você precisava fazer era, na verdade, redefinir a alma tal que que ela perdesse todas as características cristãs. Isto é cristão só na mente dos judeus. Isto que eles queriam subverter não é cristão. Ela não é uma alma cristã. Ela é uma alma grega. Ela foi adotada por Aquino e pela Igreja Católica, mas ela é basicamente uma ideia grega.

Mas quem se importa com detalhes GOYIM? Pra que ler filosofia grega ou pesquisar sobre algo fora de seu escopo pra ter uma perspectiva holística da realidade racista? Engole mais uma propaganda corporativa ou zuera sobre à mesma, o que importa é consumir conteúdo, não pensar. Esqueça o que tiraram de você.

Comente! Apreciamos qualquer feedback 👌

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.