Venezuela socialista exporta criminosos

socialismo traz muita miséria e desgraça, sem dúvida nenhuma. Mas o nível de degradação é tão brutal que todo governo socialista consegue se superar em matéria de horror, absurdos e degeneração, quando comparado a governos socialistas anteriores.
Esse é o caso da Venezuela, que nos mostra continuamente que — quando o assunto é o socialismo e suas deploráveis consequências —, não existe “fundo do poço”; afinal, sempre existem novos níveis de degradação a serem alcançados.
Já faz algum tempo que o socialismo bolivariano está exportando até mesmo bandidos. Sim, é isso mesmo, bandidos — destes que roubam, matam e sequestram as pessoas.

Isso está acontecendo porque o nível de pobreza e miséria que o corrosivo e maléfico socialismo venezuelano atingiu é tão imensurável, que os bandidos não roubam mais os cidadãos, por dois motivos — 90% da população venezuelana é tão pobre, que roubar o cidadão comum não vale a pena; afinal de contas, ele não tem nada de valor que possa ser roubado. Não adianta também sequestrá-lo e exigir resgate da família, pois sua família muito provavelmente é iguamente paupérrima e miserável.
Em segundo lugar, a escassez gerada pelo regime se tornou tão brutal que até mesmo munições e armas, até as mais vagabundas, se tornaram artigos de luxo. Até mesmo o fornecimento, antes garantido pelo mercado negro, tornou-se mais escasso, o que elevou o preço das armas e das munições.
Como consequência, não vale a pena assaltar ninguém. Sem grandes recursos para assaltar as pessoas, e sem vítimas em potencial — as únicas pessoas ricas do país que restaram em sua maioria são funcionários do governo, e geralmente andam cercados de seguranças —, os criminosos estão saindo da Venezuela, e indo para os países vizinhos, como Brasil, Colômbia e Guiana.
Ou seja, na Venezuela, até mesmo os criminosos estão vivendo tempos árduos e difíceis. A situação está tão sórdida e precária que muitos deixaram o país e abandonaram a vida de crimes que levavam, por estarem vivendo em países onde o rigor da lei é aplicado com mais veemência contra criminosos.
Evidentemente, a Venezuela continua sendo o segundo país mais violento do mundo. Não obstante, recentemente houve uma queda considerável nos homicídios, em decorrência do aumento exponencial da pobreza. Quase não há o que roubar. Não adianta assaltar cidadãos miseráveis, que não possuem absolutamente nada que seja valioso. A moeda venezuelana, o bolívar soberano, está tão desvalorizado em decorrência da hiperinflação, que ela praticamente não vale mais nada. É apenas papel, não raro usada como lenço ou guardanapo. Definitivamente, não vale a pena assaltar alguém para roubar papel sem valor. O bolívar venezuelano perdeu 99,96% do seu poder de compra. É hiperinflação para fazer até o real parecer uma moeda “boa” e “forte”, por comparação.
Para entender o nível de pobreza em que a Venezuela se encontra, em anos recentes seu PIB caiu em 52%, o que configura uma hecatombe econômica que normalmente só encontramos em países em guerra. Não há dúvida do nível de caos econômico, político e social que o chavismo causou ao país. De quarto país mais rico do mundo, hoje a Venezuela está em um nível de miséria tão corrosivo e degradante que até mesmo países pobres do continente africano encontram-se em situação muito superior.
Quando até mesmo criminosos evitam confronto com a polícia porque a munição está muito cara, e um tiroteio pode gerar um prejuízo de 15 US$, se todas as balas do revólver forem usadas — cada bala custa cerca de 1 US$ —, percebemos que o nível de degradação causado na Venezuela pelo socialismo é de fato inédito na história desse sistema político pérfido, deplorável, malévolo e genocida.
Evidentemente, isso é bom porque está desmotivando jovens a entrar para o mundo do crime. Aqueles que antes achavam que ser criminoso era uma possibilidade, estão repensando esta decisão. Além de não mais ser glamoroso, é arriscado demais. Os ganhos são incertos — para não dizer completamente inexistentes — e o contraventor coloca a sua vida em risco para conseguir apenas alguns trocados, isso na mais otimista das hipóteses. Aqueles que costumavam ser criminosos veteranos estão se sentindo motivados a abandonar a vida de crimes.
A vida na Venezuela está tão difícil que até mesmo o crime não está compensando. Criminosos estão mudando de país e alguns até de “profissão”, porque a pobreza gerada pelo socialismo alcançou um nível excruciante, nunca antes cogitado na história humana. Não vale a pena roubar, porque não há nada para ser roubado. Em compensação, o nível de furtos aumentou. Até mesmo a fiação dos postes de rua é roubada. O patrimônio público está sendo paulatinamente dilapidado, de forma consistente e sistemática.

Nicolás Maduroooo
Como esperado, o socialismo não deixa de nos impressionar e de atingir novas proporções, a cada dia que passa. Sempre para pior, evidentemente.

Comente! Apreciamos qualquer feedback 👌

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.